maxence cyrin cover “where is my mind” dos pixies

“A man is but the product of his thoughts what he thinks, he becomes” Mahatma Ghandi

“I know but one freedom and that is the freedom of the mind” antoine de saint-exupery


 

“The mere thought hadn’t even begun to speculate about the merest possibility of crossing my mind” douglas adams

 

“One man that has a mind and knows it can always beat ten men who haven’t and don’t” George Bernard Shaw

 

obrigada!

A gripe veio para ficar. Fatiga o corpo. A mente também.

Felizmente os amigos ainda vão enviando, via email, algumas coisas que alegram o espírito.

estoril film festival 2009

Fantastic Mr. Fox, de Wes Anderson

Fez parte da selecção oficial (fora de competição) do Estoril Fim Festival, que começou a 4 de Novembro e terminou ontem. Infelizmente vai demorar algum tempo até poder ser visto numa sala de cinema…

O filme relata a história do nobre, encantador e fantástico Mr. Fox, que utiliza a sua perspicácia e astúcia para levar a melhor sobre três agricultores idiotas que se cansam de partilhar as suas galinhas com esta criatura tão astuciosa.

Deixo o comentário do realizador acerca do seu filme:

É divertido fazer um filme animado e gostei imenso de escrever o guião com Noah. O que se passa com o cinema de animação é que gravamos os actores como se fosse um programa de rádio e depois os animadores transformam-se em actores, à sua maneira, pois o seu trabalho é pegar nestas marionetas e fazer com que elas pareçam ter vida. Eles transportam as suas personalidades para a forma como movem estas marionetas“.

Aqui pode ver-se como foram feitos as marionetas usadas no filme.

As vozes dos personagens são de George Clooney, Meryl Streep, Jason Schwartzman, Bill Murray, Jarvis Cocker, Owen Wilson, Willem Dafoe.

Tetro, de Francis Ford Coppola

Também fez parte da selecção oficial (fora de competição) do festival de cinema do Estoril.

O filme narra a história de dois irmãos Tetro e Bennie. Bennie tem apenas 17 anos e não vê o irmão mais velho há dez. Uma família desmembrada e afastada por conflitos que ficaram por resolver. Quando Bennie volta a encontrar-se com Tetro vários fantasmas do passado voltam à superfície.

O realizador diz acerca do filme que:

já tinha um fragmento de uma ideia acerca daquilo em que eventualmente se tornou o Tetro. Na realidade, era apenas uma página ou duas de apontamentos que tinha escrito há muito tempo. Era sobre um irmão mais novo que andava à procura de um irmão mais velho que, muito zangado, tinha deixado a família, afirmando que nunca mais os queria voltar a ver. O meu intento era localizar o filme numa cidade estrangeira, escolhi Buenos Aires porque pensei que iria gostar de viver e trabalhar aí. Assim, peguei neste pequeno fragmento de uma história, passada na Argentina, e comecei a escrever o guião quando estávamos a editar Youth Without Youth. Quando finalmente acabámos, sentia-me pronto para um novo filme“.

Do elenco do filme fazem parte  Vincent Gallo, Maribel Verdú, Alden Ehrenreich, Klaus Maria Brandauer, Carmen Maura.

The September Issue, de Cutler

Documentário que retrata a história da directora da Vogue, Anna Wintour, e da sua equipa durante a preparação do edição de Setembro de 2007 da revista. Teve a colaboração da Vogue Portugal.

O realizador refere que:

Anna Wintour foi a pessoa que teve um papel crucial na ideia de juntar a moda com celebridade, poder e indústria global. Não há dúvida que ela viu o futuro e usou a Vogue para nos apontar esse caminho. De certo modo poder-se-ia dizer que não teríamos de todo a revista In Style se Anna Wintour não tivesse decidido colocar as celebridades na capa da Vogue desde os primeiros tempos em que começou a trabalhar como Chefe de Redacção. Como poderão ver no filme e como eu pude ver durante o ano que passei com Anna e Grace Coddington e todas as outras pessoas da revista Vogue, a sua importância ainda é extraordinária. A Vogue, sobretudo e edição de Setembro, continua a ser o centro do jornalismo da moda. Claro que isto não quer dizer que não existem outros propulsionadores da indústria da moda, mas há muitas pessoas, penso, que diriam que a relevância da Vogue irá perdurar“.

O elenco é constituído por Oscar De la Renta, Patrick DeMarchelier, John Galliano, Jean-Paul Gaultier, Candy Pratts, Sadia Shepard.

O Vencedor do Festival: Dogthoot, de Yorgos Lanthimos

Parte da selecção oficial (a concurso) do Estoril Film Festival, já tinha ganho um prémio no Festival de Cannes. A reportagem da Ípsilon sobre o filme aqui.

O pai, a mãe e os três filhos vivem numa casa nos subúrbios da cidade. À volta da casa existe uma cerca alta, que as crianças nunca passaram. Estão a ser educadas, entretidas, chateadas e exercitadas da forma que os pais consideram adequada, sem qualquer influência do mundo exterior.Acreditam que os aviões que voam por cima da casa são brinquedos e, que os zombies são pequenas flores amarelas. A única pessoa autorizada a entrar em casa é cristina, que trabalha como segurança na empresa do pai. O pai organiza as suas visitas lá em casa para que ela apazigue os impulsos sexuais do filho. Toda a família gosta dela, sobretudo a filha mais velha. Um dia, cristina dá-lhe como presente uma bandolete com umas pedras que brilham no escuro e, pede-lhe algo em troca.

Para Lanthimos:

o filme trata de vários conceitos, como o futuro da família, como é que as famílias funcionam e se tudo isso vai mudar. É sobre como as crianças crescem, como é que são as famílias gregas e como elas têm tendência a manter os filhos em casa, muito dependentes dos pais. É também sobre a grande influência que tem a educação e, em geral, os líderes de grupos sociais – quer seja a família ou um grupo muito mais alargado, ou mesmo no seio de uma relação pessoal. Como estas coisas podem moldar a forma de uma pessoa pensar e fazê-las acreditar nisto ou naquilo, sem que, necessariamente, alguma das coisas seja verdade. E sem que a pessoa alguma vez se aperceba do que é que realmente se passa à sua volta“.

O elenco: Christos Stergioglou, Michele Valley, Aggeliki Papoulia, Mary Tsoni, Christos Passalis.

serenidade para hoje

Como o fim-de-semana anda musical, para cultivar a serenidade e a arte de não fazer nada, Charlie Haden e Pat Metheny:

e Brad Mehldau:

rescaldo do fim-de-semana

A festa da CDU no Mito’s esteve bastante participada. A banda Domingos e Amigos tem um reportório e presença que incita ao convívio e, encoraja os espíritos à mudança. Quem lá esteve pôde observar e sentir, mais uma vez. É importante ter consciência que cada um tem em si uma força motriz, que cada um faz a diferença, como o resultado eleitoral comprovou. Agora continuar a lutar, a trabalhar, a interessar-se, para que a nossa freguesia prospere.

Pela blogosfera nada de novo. Continua no ar a artifície discussão acerca do PSD/CDU. Peço emprestadas as palavras de Manuel Ramos, ancoradas à memória histórica que não deixa cair, sobre a nova correlação de forças na Câmara Municipal de Silves, e na Assembleia Municipal de Silves:

“a correlação de forças mudou. O PSD perdeu a maioria absoluta. Mas a delegação de competências não significa que os actos político/administrativos pelo órgão Câmara delegados não sejam posteriormente por esta analisados, e ratificados ou não. Mas esse é assunto que ainda não está fechado, e o adiamento da aprovação teve o mérito de obrigar a Presidente a especificar pormenorizadamente quais as competências que quer ver delegadas. A Oposição poderá agora delegar ou não. Esperemos para ver, essa é a atitude correcta. Votar contra, sem contra-proposta, e considerada a lei, como fez o vereador Serpa, é que me parece atitude pouco sensata. Apesar da experiência, foi o bom-senso que imperou. Quanto à ajuda: bom, se alguém desempenha pela primeira uma função, estranho será não precisar de ajuda. Eu também dela precisei e beneficiei. Quem não sabe trabalhar em equipa e pensa que tudo sabe, dificilmente pode, sem ajuda, desempenhar honesta e criteriosamente a tarefa de ser vereador, mesmo não permanente.
Se alguém quer fazer bem o seu trabalho e procura ajuda, analisando ou discutindo com outros como melhor poderá fazer, não me parece má atitude, antes pelo contrário. Criticar alguém por isso, e só pelo que pôde apreciar nas Reuniões (repare-se no plural quando ainda só houve uma e não presenciou, a menos que seja um dos vereadores a comentar!), nos debates (que eu saiba, só houve um), neste blogue, onde Rosa Palma ainda não interviu é, claramente, mera manifestação de preconceito.
“…famigerado respeito pelo Povo e pelo eleitorado” é uma expressão que não entendo, sobretudo pelo uso do adjectivo!!
A observação que me resta fazer prende-se, ainda, com a polémica eleição para a presidência da Assembleia Municipal. Recordo só, aos comentadores do PS que aqui e por aí se indignam com a posição da CDU (mas também do BE) e até dizem que a CDU nunca apresentou candidato, o seguinte: em 1997/98 a CDU votou em Paulo Pina (PS); em 2001, com mais votos que o PS na AM!, apresentou candidata (Margarida Ramos), mas o PS insistiu em votar no seu, Lisete Romão, viabilizando a eleição de Maria José Grade (PSD) para a presidência; em 2005, a CDU votou em João Ferreira mas não gostou. Em 2009 absteve-se, ainda que eu considere que deveria ter apresentado candidato, e o PS devolvido o(s) favor(es) já feitos, nomeadamente considerando o que tinha feito em 2001.
A história ensina-nos muito, não é? Com se diz também, ajuda-nos a compreender o Presente”.
 

Como ainda estamos em fim-de-semana, para descontrair e descomprimir, dois grandes senhores da música B. B. King & John Mayer: